faex@faex.edu.br   (35) 3435-3988  

ENTREVISTA

12/03/2020

ENTREVISTA:
Professora Terezinha Monteiro

"LONGE É UM LUGAR QUE NÃO EXISTE"

Durante as celebrações pelo Dia Internacional da Mulher, sempre destacamos exemplos femininos que se tornaram expoentes em suas atuações comunitárias. Aqui na FAEX, temos muitas mulheres investidas de força, garra e fibra, que vivem apaixonadamente a Educação, com a consciência do poder libertador que possui.
Nossa diretora geral, a professora Terezinha Monteiro, é um exemplo disso tudo. Guerreira na vida e apaixonada pela Educação, direcionou seus passos movida pela certeza de que, através da Educação, podemos mudar o mundo para melhor.
Convidamos Terezinha para falar um pouco sobre esse amor. Na busca incansável pela valorização do papel da mulher na sociedade atual, ela relembra sua trajetória e reforça sua luta pela Educação como fator de transformação.

A PAIXÃO PELA EDUCAÇÃO
“A gente costuma falar que é mordido pelo bichinho. Com 13 anos de idade, eu fui convidada pra dar aula, num movimento de alfabetização que tinha no Brasil. Eu já gostava de brincar de escolinha, de dar aula... Comecei a dar aula na zona rural de Extrema, depois trabalhei na Escola Alfredo Olivotti. Lá fui inspetora de aluno no começo, depois fui para a vice direção. Aí fui me aprofundando. Fiz Magistério em escola pública. E fui me apaixonando. Sempre gostava de dar aulas, tinha facilidade. A educação é um bichinho que nos morde. Acho que a melhor coisa que acontece na vida da gente é se apaixonar pela Educação, porque ela impulsiona, transforma as pessoas.

DOS PRIMEIROS PASSOS À FAEX
Fui da sala de aula para a vice direção. Daí fui para a Secretaria Municipal de Educação. Foram aproximadamente mais de 20 anos. Em 2002, resolvemos criar a faculdade. Eu confesso que, num primeiro momento, não sabia como seria, nunca tinha participado da criação nem da gestão de uma faculdade, mas eu acho que a vontade era tanta e também a certeza de que daria certo. A gente estava sendo movido por uma força muito grande, que era o nosso sonho. Então, hoje, penso que apostei tudo e, graças a Deus, estou muito feliz.

A PRESENÇA DAS MULHERES NA EDUCAÇÃO
É uma luta muito grande. A Educação tem uma presença mais forte de mulheres, e elas representam bem isso tudo, atuando de uma maneira muito especial. Mas, no Ensino Superior, isso se inverte um pouco e temos a grande maioria de homens como reitores, diretores, mantenedores... Como em todas as outras áreas que a gente vê, são poucas as mulheres também nesse setor, embora a Educação apresente uma ligação muito forte com as mulheres e o poder feminino. Eu acredito muito que isso acontece pela singeleza da mulher, pelo carinho, pelo cuidado, pelo olhar de mulher e de mãe... Por tudo isso, acredito que a mulher tenha um papel muito significativo no setor da Educação.

CONQUISTANDO
Vencer nesse setor é maravilhoso. É uma luta por dia, com muitos obstáculos. Mas, a cada um destes obstáculos, a gente é impulsionada para a frente. Não é um trabalho fácil, mas sabe aquela alegria de você testemunhar a transformação de uma pessoa? É a mesma alegria que uma mãe sente ao ter um filho. Parece que, todos os dias, o tempo todo, você está construindo pessoas, ajudando a serem melhores. E isso é muito gratificante. Ano que vem, faço 50 anos de Educação, meio século trabalhando em prol da educação, trabalhando em prol da construção do ser humano. Existe muito caminho a ser percorrido e muitos obstáculos a serem vencidos, para que a mulher realmente possa ocupar mais lugares. Acho que podemos evoluir muito nesse sentido. Embora, eu acredite que não tenha tido tantos problemas para chegar onde cheguei, normalmente as mulheres enfrentam muitos problemas e ainda não têm o apoio da sociedade. As mulheres, infelizmente, não são estimuladas, não recebem força para que possa vencer cada vez mais dentro da sociedade, nos mais diversos setores. Mas eu acredito que as mulheres estão batalhando e vencendo. Essa é uma luta mundial. E as mulheres merecem esse reconhecimento, merecem ser incentivadas.

UMA MENSAGEM
Gosto muito de um autor, chamado Richard Bach, que tem uma frase assim: “longe é um lugar que não existe”. Acredito muito nisso, porque a distância depende da gente. Se a percorrermos com muito amor, com muita dedicação, essa distância irá diminuir, as dificuldades e obstáculos se tornarão insignificantes perto da força de querer fazer algo. São essas vitórias que contam, as nossas conquistas diárias. Nossa vida é a soma dessas conquistas. A distância pode ser grande, mas quando uma mulher está movida pela vontade, não há o que lhe segure.

Imagens